post

Antes da pandemia de Covid-19, um dos piores cenários para a saúde mundial das últimas décadas, as expectativas para o crescimento do e-commerce, sobretudo no Brasil, já eram altas. O que ninguém esperava era que, com a pandemia e os lockdowns para impedir a disseminação do vírus, todo o crescimento previsto para os próximos anos, ocorresse dentro de poucos meses.

A ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) prevê condições ainda mais favoráveis para o setor dentro dos próximos anos. Estima-se que em 2027 o faturamento das vendas online no Brasil alcance R$273 bilhões, ou seja, uma alta de quase 30%. A associação também traz outros dados importantes sobre a participação brasileira no setor, como a maior presença de pessoas entre 35 e 44 anos nessas compras, sendo da classe C e majoritariamente da região sudeste do Brasil, composta por São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Entenda como funciona a exportação no nosso artigo sobre o tema!

Novos cenários, novas ações

Uma pesquisa da Bain & Company (The Elements of Value), divulgada pelo Google, destacou que uma das maiores mudanças comportamentais na pandemia foi a aceleração da confiança no digital como canal de compra e venda. Isto é, a Geração X: nascidos entre 1960 e 1980 possuem uma tendência em resistir a compra online. Ainda assim, impossibilitadas de acessar ao produto presencialmente, cederam a uma primeira experiência pela internet.

Diante disso, para o empreendedor é crucial reforçar o processo de atendimento ao cliente visando fidelizar o usuário e demonstrar que comprar online é de fato seguro e menos burocrático.

O novo panorama para o empreendedor digital está em conhecer e catalogar os interesses dos clientes antigos e dos usuários mais recentes. A adaptação passa (a depender da flexibilidade do negócio) por um atendimento via Whatsapp ou telefônico ao invés de e-mails robotizados e mensagens SMS. Essa nova ação que visa “humanizar” o atendimento aos usuários digitais deve ocorrer para que o crescimento repentino nas plataformas digitais não seja perdido com a reabertura das lojas presenciais.

Tem interesse em começar a exportar e participar desse mercado? Confira aqui como fazer!

E-commerce cross border

O mercado de e-commerce de exportação também vem apresentando um crescimento interessante durante os últimos anos. A venda online de produtos de um país para o outro é conhecida como o e-commerce de “Cross Border”.

Queremos levar os produtos brasileiros para outros países e mostrar que nossas empresas possuem produtos de alta qualidade e cada vez mais competitivos, e a tecnologia facilita essas operações: investir em uma plataforma de negócios globais não requer grandes investimentos e permite que sua mercadoria esteja em todo o mundo.

Quer saber mais sobre como a sua pequena ou média empresa pode obter destaque no cenário internacional, aumentando suas vendas significativamente? Clique aqui e leia o nosso artigo sobre a internacionalização de PMEs.

E agora que você já entendeu como funciona o e-commerce B2B, que tal iniciar suas operações e buscar no exterior novas formas de expandir as suas vendas? A B2Brazil possui a mais essencial ferramenta de marketing internacional. No nosso portal você encontrará compradores e vendedores de diversos países pelo mundo e poderá negociar e aproveitar de diversas funcionalidades exclusivas. Cadastre-se agora mesmo!

Mais Conhecimento

Para encontrar empresas e fazer negócios, visite nosso portal: